• Redação

Como aproveitar a água de reúso



A água de reúso é uma solução para garantir que as atividades, que não exigem água potável, possam ser realizadas e, desse modo, contribuir com a conservação dos recursos hídricos, que já são escassos por todo o planeta.

Entre inúmeros dados, a Agência Nacional de Água (ANA) compartilha que 97,5% de toda água existente em nosso planeta é salgada. Com relação aos 2,5% de água doce, a maioria não está disponível para consumo, pois 69% delas estão nas geleiras e 30% são identificadas como águas subterrâneas. Ou seja, por mais que nós tenhamos a sensação de que exista água em abundância, temos apenas 1% disponível para todas as atividades humanas, que incluem o consumo, uso em comércios, empresas, indústrias, atividades agrícolas, entre outras situações.


De onde vem a água de reúso?

O reúso da água acontece após o tratamento da água oriunda de poços artesianos, lagoas, rios, lagos e afins, além dos efluentes como o esgoto sanitário, processos industriais, entre outros.

A reutilização é apropriada depois de receber o tratamento adequado, pois esse procedimento garante que a água esteja apta para fins que não precisam de água potável, mas que, ao mesmo tempo, não geram riscos de contaminação humana ou do meio ambiente.

No Brasil, há legislações que comprovam a necessidade em fazer o uso eficiente da água. Um exemplo disso é a norma ABNT NBR 16.782:2019, que aborda a conservação da água, gestão adequada da demanda e da oferta; como usar, operar e manter a água em edificações públicas ou privadas.


Diferenças entre a água potável e a de reúso

É sempre bom reforçar as principais diferenças entre água potável e de reúso, pois deste modo cria-se a consciência de que há situações em que o reúso é muito apropriado enquanto em outras a água potável é essencial.


Água potável

A Portaria de Consolidação nº 5/2017 define em seu anexo XX, Capítulo II, Art. 5º, I, como "água para consumo humano: água potável destinada à ingestão, preparação e produção de alimentos e à higiene pessoal, independentemente da sua origem''. (Origem: PRT MS/GM 2914/2011, Art. 5º, I).

Tecnicamente, a mesma portaria indica que a água é aprovada para o consumo se tiver pH entre 6,0 e 9,5, bem como o cloro residual livre mantenha o teor máximo de 2 mg/l.


Água de reúso

Com relação à água de reúso, ela pode ser reaproveitada para a lavagem de automóveis, irrigar um jardim, alimentar fontes artificiais, lavar pisos, realizar a limpeza dos ambientes, etc. A origem dela pode variar. No entanto, o mais comum é vir da chuva, de poços, do esgoto sanitário, das águas cinzas, caminhões-pipas e de empresas especializadas em oferecê-la para os fins mencionados.


Parâmetros para o reúso adequado da água

Mesmo para fins não potáveis, a água a ser reutilizada precisa garantir a qualidade exigida pelas normas vigentes. Leva-se em consideração as características físicas, químicas e microbiológicas, o que também exige que o projeto garanta testes eficientes para identificar se o sistema para o reúso da água está adequado.

Com exceção dos sistemas criados diretamente para o resfriamento úmido, as outras modalidades de reúso consideram que, por exemplo:

  • O pH (Potencial Hidrogeniônico) fique entre 6,0 e 9,0;

  • E. Coli (Escherichia Coli) ≤ 200 NMP/100 ml;

  • Turbidez ≤ 5 UT;

  • DBO 5,20 ≤ 20 mgO 2/l;

  • Cloro Residual Livre (CRL) de no mínimo 0,5 mg/l e máximo de 5,0 mg/l, sendo o mais recomendável não ultrapassar 2,0 mg/l.

Economizar água é responsabilidade de todos

O correto uso da água é uma responsabilidade tanto individual, quanto coletiva, por esse motivo aplica-se tanto aos ambientes residenciais quanto comerciais, públicos e industriais. Tomadas as proporções de cada consumo e sabendo-se que a indústria utiliza muito mais este recurso natural que a população civil, o tratamento da água de reúso também considera esses fatores e particularidades para ser executado.

No ambiente residencial, o consumo da água é feito durante o banho, para lavar as roupas, limpeza da casa, entre outras situações. Todos esses exemplos podem ter um sistema para o reúso de água de modo a economizar água potável — que é essencial para a saúde humana.

Pensando em condomínios residenciais, a administração tem a responsabilidade de garantir que a água seja fornecida a todas as torres e que o acesso aos apartamentos aconteça de forma natural e com todos os cuidados necessários indicados, que incluem o monitoramento e manutenções.


18 visualizações0 comentário